sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Uma linha e tudo acaba.

Não adianta querer se prender à política ou dinheiro.Nem sentimento ou religião. Isso tudo são apenas reflexos.
O que necessitamos agora é nos prender em qualquer coisa, não é?Material ou não. Real ou não. Abstrato, concreto. É de extrema importância uma "segurança", um "conforto". Aonde encontrar? O que precisamos é palpável... Deve até mesmo ter sangue.O que precisamos é mudar esse pensamento sujo e pobre e pequeno por demais.
Queria eu (e ainda quero) que todas as palavras de todos que possuem pensamentos bons se tornem atos (urgentemente). Quero letras grandes e espaços largos.Chega de esperar por alguém que realize milagre. (Não, meus queridos, Jesus não nos salvará mais.)
Agora percebo o que ainda é invisível para alguns (muitos). Um sobro à mais pode ser fatal. Um deslize, um erro, um acerto ou um fechar de portas. Ou um bater de palmas a um filho da puta qualquer. Se morrêssemos agora, morreríamos sofrendo menos.
Parece que chega a cortar (o vento). A água se tornou cortante (cortável?)... Eu também. Tu também te tornastes (o quê?)...
O que nos tornamos é impossível de dizer. O que tudo se tornou não possui sequer descrição que contraia tudo em uma palavra só. Incompreensível, sim. Essas palavras são mais ainda (eu sei). É meio sem começo e sem fim. Meio que só eu entenda, assim como só eu vejo certas coisas.Minha mente...
Leia entre as linhas e me entenderás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário